Quais são os desafios e restrições da cirurgia refrativa?

Os olhos são um dos órgãos mais importantes do corpo. Talvez não seja um órgão primordial para o funcionamento no corpo no ato de sobreviver, mas para viver, os olhos são superimportantes porque é assim que consegue ver as pessoas, consegue se guiar e tudo mais, e, além disso, para ver as coisas boas da vida precisará enxergar muito bem.

E é por esse motivo que as cirurgias oculares são tão importantes e as pessoas ainda são tão receosas para fazer essas cirurgias, pois os olhos são muito, muito sensíveis e parecem ser, por isso o medo é muito grande. Além disso, alguns filmes como premonição mostram as mortes durante alguma revisão ocular ou uma consulta e até uma cirurgia.

 

Mas, o que é a cirurgia refrativa?

A cirurgia refrativa, conhecida também como cirurgia com laser, tem como objetivo mudar o estado refracional do olho.

O que significa remodelar o estado refracional do olho?

Fazer a cirurgia refrativa significa mudar o grau dos olhos.

 

Como funciona?

O laser usado para realizar a cirurgia refrativa precisa utilizar a excitação e a combinação de um determinado complexo molecular formado por argônio-fluoreto, para poder conseguir criar a luz ultravioleta e só então o laser conseguirá emitir os pulsos com grandes picos de energia necessários para poder remover uma pequena quantidade de tecidos corneanos, na verdade o quanto for necessário.

E quando o essa quantidade de tecido corneano é retirada, ocorre uma mudança no formato da córnea e isso levará a mudança do grau dos olhos.

 

Para que serve a cirurgia refrativa?

Ela serve para poder corrigir possíveis erros refracionais que possam ocorrer como a miopia, hipermetropia e astigmatismo.

Existe ainda uma “cartilha” para uma cirurgia refrativa bem-sucedida que inclui uma pesquisa aprofundada para a escolha do candidato, a capacidade de compreensão, as vantagens e as desvantagens da cirurgia e por fim os cuidados e a fidelidade às recomendações médicas.

 

Possíveis dúvidas, desafios e restrições da cirurgia refrativa?

É possível ficar insatisfeito com o resultado da cirurgia refrativa?

R: Pensa comigo, se você tem 6 graus de miopia, faz o procedimento de cirurgia refrativa e consegue diminuir para 3 graus, venhamos e convenhamos que não está bom, mas está muito melhor em relação aos 6 graus que tinha antes, não é?

 

Mas, preciso dizer também que a insatisfação só acontece quando a expectativa é muito grande, por isso que o médico deve ser sempre muito honesto e as vezes até um pouco pessimista, pois, pensando psicologicamente, o paciente ficará muito mais feliz e mais satisfeito se conseguir a diminuição de grau maior do que o médico tinha planejado.

No entanto, sempre que puder ser realista, seja, vai ser melhor para você e para o paciente. Além disso, o médico precisa muito conhecer os limites: O seu, o do seu equipamento e o do seu paciente. O laser não pode deixar a córnea muita fina e o equipamento precisa estar em dia para conseguir deixar que o médico consiga fazer um bom trabalho.

 

Por quê a cirurgia é contraindicada para as gestantes?

R: Isso ocorre por conta da grande variação hormonal que ocorre nessa época e ao invés de melhorar com a cirurgia, poderá piorar por causa da dificuldade de cicatrização que provém da instabilidade hormonal.

 

E os diabéticos?

Os diabéticos também possuem contraindicação para a cirurgia refrativa, a não ser que a glicose esteja supercontrolada, então é melhor deixar a contraindicação para todos os diabéticos.

 

Quanto tempo demora a cirurgia refrativa?

A cirurgia é muito rápida e por isso até parece ser bem simples, demora apenas 10 minutos para cada olho. Mas como o ideal é fazer cada olho em um dia, fica essa distância entre as cirurgias.

 

Quais são os tipos de cirurgias mais utilizadas no Brasil?

A cirurgia refrativa pode ser feito por quatro métodos:

 

- PTK (Ceratectomia Fototerapêutica)

É uma forma de tratamento que utiliza o Excimer Laser para a remoção uniforme do tecido da superfície corneana.

Esse tratamento é indicado para doenças corneanas superficiais do epitélio, erosões recorrentes do epitélio e cicatrizes corneanas.

 

- PRK (Ceractomia Fotorrelativa)

Aqui, a correção do grau é feita por meio de uma aplicação do laser que é feita em cima da superfície da córnea.

O PRK é mais indicado para pacientes mais jovens e os que possuem assimetria nas córneas ou muito finas.

Essa é uma cirurgia rápida e mais segura, entretanto a recuperação da visão é mais lenta e quando digo lenta, é lenta mesmo porquê você precisará evitar os raios solares diretos durante 1 ano e isso é fundamental para uma boa recuperação.

 

- LASIK (Laser Assisted in sito Keratomileusis)

Essa é a técnica mais utilizada ao redor do mundo para o procedimento de correção de graus a laser, independentemente da doença: Miopia, Astigmatismo, Presbiopia (alguns casos) e Hipermetropia.

Se tiver que fazer uma cirurgia refrativa, não precisa se preocupar muito, só tem que seguir direitinho as recomendações do médico para uma boa recuperação.